terça-feira, 29 de novembro de 2016

Quarteto Fantástico (2015): Um Filme Injustiçado

Quando a Fox anunciou que faria um reboot do Quarteto Fantástico em 2015, o mundo nerd ficou ressabiado. O prazo do acordo firmado entre Marvel e Fox estava para vencer e se a turma da raposa não fizesse um novo filme com o quarteto, os direitos voltariam para a Casa das Ideias. Então, parece que meio que na pressa, resolveram lançar este reboot. Ideias esquisitas foram surgindo, como os irmãos Sue e Johnny Storm serem irmãos adotivos, a troca de etnia do Tocha Humana também não agradou, o fato da equipe ser muito jovem também não caiu bem, e outros conceitos também fizeram muita gente torcer o nariz. As primeiras imagens oficiais que saíram na rede não agradaram. O visual do Coisa e do Dr. Destino quase fizeram com que a Terceira Guerra Mundial ocorresse.

Poster do filme
A imprensa especializada em entretenimento caiu de pau sobre o filme e os fãs foram no embalo sem nem ao menos o filme estar finalizado. As refilmagens parece que reforçavam uma ideia de que o filme não estava agradando. Expectativas baixas, muito disse me disse na internet e quando o filme foi lançado, como era de se esperar, o filme foi um tremendo fracasso. Com orçamento de U$ 120 milhões, o filme rendeu apenas U$ 168 milhões. Em termos dessas grandes empresas, foi uma fiasco tremendo. Diante disso tudo, eu me deixei levar pelo preconceito e nem quis saber do filme. Somente agora, em 2016, resolvi ver se o filme era essa bomba de bosta toda mesmo como tantos falam por aí. E ele é? Bom, para mim, passa muito longe disso. Quarteto Fantástico é um bom filme.

Da esquerda para a direita: Sue, Johnny, Franklin e Victor

A história do reboot é bem parecida com a história original dos heróis, claro, com algumas (muitas mudanças). Claro, é uma adaptação com muita licença poética. Reed Richards (interpretado pelo bom Miles Teller) e Benjamin Grimm (interpretado por Jamie Bell) são grandes amigos desde a infância e trabalham na elaboração de um teletransportador. Isso atrai a atenção do governo que trabalha com jovens prodígios através da Fundação Baxter. Reed então é recrutado pelo Professor Franklin Storm (interpretado por Reg E. Cathey), para ajudar na elaboração de um Portal Quântico, onde seria possível ir até um planeta inóspito, apelidado de Planeta Zero. A equipe é formada por Sue Storm (interpretada pela bela Kate Mara), filha adotiva de Franklin; por Victor von Doom (interpretado por Toby Kebbell), um recluso e brilhante jovem; além de Johnny Storm (interpretado por Michael B. Jordan), filho de Franklin, um jovem meio rebelde que ajuda na parte mecânica do processo.

Reed e Ben: amizade antiga que se abalará
Após conseguirem sucesso no Portal, Reed, Victor, Johnny e Ben (que foi convidado por Reed), decidem eles mesmos irem explorarem o Planeta Zero, antes que o governo tome a tecnologia deles. Chegando lá, algo dá errado e eles precisam fugir, deixando Victor para trás. No processo de retorno, uma explosão afeta Reed, Ben, Johnny e Sue, que os estava ajudando a voltar para casa em segurança. A partir daí, cada um começa a apresentar habilidades estranhas. Reed pode esticar seu corpo elasticamente como quiser, Sue controla campos de força invisíveis e consegue ficar invisível também, Johnny entra em combustão e controla o fogo, Ben vira um ser de pedra com força descomunal. Todos passam a trabalhar para o governo e testarem seus poderes na esperança de encontrarem uma cura, enquanto Reed foge. Um ano depois, o governo consegue rastrear Reed e o traz de volta para concluir um novo Portal Quântico para que eles possam novamente ter acesso ao Planeta Zero, mas eles encontrarão Victor vivo, com enormes poderes e se auto proclamando agora Dr. Destino, senhor do Planeta Zero e ele não quer ninguém em seus domínios.
O novo visual do Coisa
Adaptações a parte, eu gostei muito da nova história. O filme é bem mais sério e adulto do que seus dois antecessores, Quarteto Fantástico (2005) e Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado (2007). Os efeitos especiais estão muito bons, o elenco é bom e a ação também é boa. Claro que nem tudo são flores, obviamente. O visual do Dr. Destino é horrível e ele não chega nem a 1% do verdadeiro potencial do vilão que conhecemos, o senhor de toda a Latvéria. Destino é patético, apesar de mostrar que teria potencial para ser uma grande ameaça. O fato da troca de etnias de personagens. Eu sou totalmente contra e não gosto. Uma ou outra troca até fica bacana, como é o caso do Nick Fury, mas num geral eu não gosto. Os irmãos Storm serem adotivos também não teve nada haver. Dá para entender o dilema que eles quiseram criar no núcleo familiar dos Storms, mas não precisavam criar uma irmã adotiva para isso. O visual do Coisa, que tantos reclamaram, não me incomodou e eu achei até maneira e muito bem feita. Seria um visual mais próximo do "real". Os uniformes não lembram o da equipe e nem ao menos tem aquele famoso 4 para fazer a alegria do fã.
Quarteto Fantástico
O fato da equipe ser tão jovem pode até ter uma explicação: 90% do que é adaptado pela Fox ou Sony baseia-se no universo Ultimate da Marvel, onde todos os personagens são mais jovens mesmo, portanto, tem o seu motivo. Teve gente que reclamou disso, mas teve uma base para os caras se inspirarem. Eles não tiraram isso do nada.

Destino e seu visual extremamente esquisito
Voltando ao fator irmãos adotivos, no momento que o filme começou, eu logo embarquei na ideia e nem pensava mais nisso. Não vi problemas e aceitei de boa a história que eles tinham para contar. Vai ver por eu estar com uma expectativa tão baixa que o filme me surpreendeu tanto e eu achei que o título de "pior filme de super heróis" de todos os tempos uma injustiça. Já teve muita coisa pior por aí saindo e ninguém falou ou fala nada....

Sue e Johnny, os irmãos
Para aqueles que tem preconceito, assim como eu tinha antes de assistir ao filme, deem uma segunda chance aos novos Sr. Fantástico, a Mulher Invisível, ao Tocha Humana, ao Coisa e ao Dr. Destino. Assistam ao filme e tirem suas próprias conclusões. Não se deixem levar por opiniões alheias. Claro que eu sei que o filme é odiado e a maioria esmagadora não suporta ouvir sequer falar neste filme, mas vi muita gente também que curtiu e defende o filme. Cada um tem seu gosto e cada um tem sua opinião, por isso, tirem vocês mesmos suas próprias conclusões, porque o filme não é fantástico (ba tum tsss), mas está longe de ser essa bomba toda que falam por aí.


Um grande abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário