segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Kamen Rider Kuuga

Kuuga, o primeiro Heisei.

Antes de dizer o que achei de Kuuga, aqui vai um pequeno resumo da história que envolve este rider:

Durante uma escavação arqueológica, um corpo usando um misterioso cinto é descoberto. Ao retirar o cinto, os arqueólogos rompem o selo que lacrava os Grongi, raça mutante da antiguidade. Após uma investigação da polícia, o cinto é entregue aos cuidados da pesquisadora Sakurako, amiga do motoboy Yusuke Godai. Durante o ataque de um dos Grongi, Godai tem uma visão de um guerreiro vermelho usando o cinto, e resolve experimentá-lo. O cinto é absorvido pelo seu corpo, e Godai se transforma na versão moderna do lendário Kuuga, guerreiro que combateu os Grongi em tempos antigos. Com a ajuda de Sakurako e do detetive Ichijou, Godai luta contra a reencarnação dos Grongi. -- Wikipédia

Bem, agora falando da série, antes de assistir Kuuga, confesso que fiquei receoso, e explico a razão: o ator que interpreta o personagem principal, Joe Odagiri, havia dito em entrevista "ter um enorme desprazer com o gênero tokusatsu" e que só havia aceitado o papel porque seu agente o havia persuadido a fazê-lo. Como amante do gênero que sou, confesso que fiquei bastante incomodado com a declaração, isto pra não dizer enraivecido. Soube que, um tempo depois, ele se retratou pelo o que disse, mas continuei desconfiado. Isto até o momento de assistir a série.

Kuuga foi o primeiro Kamen Rider da Era Heisei, e confesso que me surpreendeu demais: Kuuga é um dos riders mais intensos desta nova etapa da franquia. Intenso em que sentido? As relações entre os personagens de Kuuga são muito fortes. Godai, Ichijou, Sakurako e Minori (irmã mais nova do Godai) demonstram fortes laços de amizade e compartilham muitos momentos de alegria, tensão (outro ponto forte da trama), expectativas pelos acontecimentos e apreensão sobre cada novo mistério que apareceria. Kuuga não conta nem com 50% da tecnologia dos riders atuais, mas não precisa dela; a história é simples, porém muito bem-feita. Posso dizer que é um dos riders que mais passou rápido: quase não consegui sentir os 49 episódios passando, tamanha a capacidade da série em prender minha atenção. Os episódios são todos bons; uns mais frenéticos, outros menos, mas sempre com algum acontecimento interessante.

Cada personagem tem uma papel bem definido na trama e tem chance de aparecer bem. Pra ser bem sincero, é um dos riders onde os personagens secundários mais foram destacados. Não que nos outros riders eles ficassem esquecidos, mas sempre um ou outro ou aparece pouco ou fica esquecido em algum momento da trama por conta do número total de personagens envolvidos. Isto não ocorre neste caso. A trama de Kuuga é dinâmica, tem suas peculiaridades, ótimo desenvolvimento e personagens que não apenas cativam, mas encantam. Godai Yusuke é um ÓTIMO rider, o que se poderia estranhar dadas as declarações do ator que o interpretou, mas o fato é que ele está muito bem na série. Natural, autêntico, nem parece ter dito o que disse. Não sei se ele mudou de opinião sobre tokusatsus após o final de Kuuga, mas tenho certeza de que passou a compreender o amor pelo gênero e, principalmente, o amor pelos Riders.

Godai, o Kuuga, e Ichijou.

Ichijou Kaoru é um dos melhores personagens que já pude assistir em um tokusatsu: um detetive que honra seu distintivo. Interpretado por Shingo Katsurayama, Ichijou foi um dos personagens que mais me cativou. Um cara puramente integro, dedicado e profundamente ligado a Godai pelo forte laço de amizade de ambos. Sem ele, o Kuuga passaria por muitos apuros.

Sakurako-san era quem ajudava Godai a entender o que era Kuuga.

Sakurako Sawatari, ou Sakurako-san, era a personagem que ajudava Godai, Ichijou e os demais a entenderem o que era Kuuga e quem eram os Grongis. Igual ao Ichijou, ela ajudou Kuuga em todos os momentos para que ele pudesse entender a natureza de seus poderes e o motivo dos Grongis fazerem tantas vítimas por toda Tóquio. Por vezes, ela teve medo que Godai não suportasse a pressão, mas sempre teve fé nele.

Minori, a irmã mais nova de Godai.

Minori não aparece em todos os episódios de Kuuga, mas a relação da professora da creche com Godai e os demais não é menos importante por isto. Sempre que ela aparece, demonstra fé e preocupação com seu irmão mais velho aventureiro. Foi interpretada por Wakana Aoi.

Kuuga deve ser o rider mais violento de todos. Não por causa de seu protagonista, mas de seus inimigos, os Grongis. Eles são muito violentos e assassinos. Devem ter matado mais de 2000 pessoas durante a série toda. São primitivos, movidos apenas pelo instinto de matar. Alguns são puramente ferozes, outros já contém uma inteligência maior. As lutas de Kuuga são viscerais! Como ele não utiliza armamentos o tempo todo, as lutas são travadas com base em socos e chutes, e acabam ficando mais realistas. Um dos riders que mais gostei no quesito batalhas; o cara sofre para vencer os adversários, não existem muitos truques ou armas especiais para ele derrotá-los.

Em suma, Kamen Rider Kuuga é um excelente Kamen Rider. Top 5, para mim. A trama consegue ser atraente em todos os sentidos: personagens, desenvolvimento, laços afetivos, lutas, inimigos. Eu destaco a intensidade de sentimentos das personagens, mesmo não sendo uma série dramática, como algo único em Kuuga. Você torce para que cada personagem consiga o que deseja. De verdade.

3 comentários:

  1. Não vejo a hora de assistir! Boa!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Assista, Antonio. Vai gostar. Kuuga é muito bom.

    ResponderExcluir
  3. Odagiri ou fez por amor à sua profissão ou fez para não perder a sua credibilidade. Porém, eu também notei que a interpretação do ator foi boa demais para alguém que não gostava de tokusatsu.
    Em relação às lutas não sei se já reparou, mas Kuuga e Agito são os únicos Riders da era Heisei que não utilizaram o artifício das faíscas. Em Agito ainda tinha algumas cenas com o G3 mas é compreensível, já que ele usava uma armadura metálica.

    ResponderExcluir