quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

GARO, um tokusatsu e tanto!

Kouga e Rei, os protagonistas da primeira temporada de Garo.

Sempre ouvi falar muito bem sobre Garo, mas só nesta reta final de 2014 que pude começar a assistí-lo, e confesso que me surpreendi: um tokusatsu bem singular, cheio de misticismo, coisas soturnas, um clima de morte sempre pairando sobre as cabeças das pessoas da cidade. Garo não é um tokusatsu comum, com toda certeza. Primeiro porque não é um tokusatsu voltado para crianças, como boa parte do que conhecemos é. Ele tem uma pegada mais adulta, ou ao menos para um público mais crescido.

A trama de Garo é centrada em Kouga Saejima, que recebeu de seu pai a armadura dourada de Garo, e tem como missão de vida matar Horrors. Horrors são monstros que possuem humanos com pensamentos impuros ou maldade em seus corações, devorando outros humanos. Os Horrors, como o próprio nome sugere, são horrorosos, na aparência. Em geral, são monstros de cor escura com olhos enormes e brancos, realmente medonhos. Cada monstro tem uma motivação única para matar, e sempre com muitos requintes de crueldade.

Zero e Garo.

Kouga vive em uma mansão desde criança, com seu mordomo Gonza. Dá para dizer que a relação entre eles é idem a de Bruce Wayne e Alfred; são como pai e filho. O temperamento de Kouga é o típico: um cara sério, que demonstra pouco o que sente e de poucas palavras, exímio lutador e espadachim. No início da série, Kouga salva a vida de Kaoru Mitsuki, uma pintora com sérios problemas financeiros que acaba se tornando parte fundamental da trama. Muito do que acontece na vida do Kouga é motivado por ela, direta ou indiretamente. Kaoru arruma todo o tipo de emprego para tentar sanar suas dívidas, mas sempre acontece alguma tragédia que a força a mudar de rumo na vida.

Kaoru.
Garo é uma série muito climática: desde as batalhas até os momentos em que Kouga está com Kaoru ou Gonza, a série sempre apresenta algum tema instrumental voltado para manter um clima de suspense no ar, como se algo fosse acontecer, preparando o espectador para o que virá. 

Rei.
Muitas pessoas devem considerar Rei, o Cavaleiro Makai Zero, como o personagem mais forte da série, e não as culpo. Rei Suzumura é mais intenso que Kouga em alguns aspectos, já que ele tem a obsessão de vingança como seu ponto forte. Diferentemente de Kouga, Rei tem um temperamento mais explosivo, impulsivo. Travou boas batalhas com ele, durante a temporada. Ambos têm a missão de exterminar Horrors e proteger os humanos, mas Rei se sente compelido a cumprir seu objetivo inicial de vingar-se. Conforme a série avança e ele descobre a verdade, vai abrandando seu coração.

Bom, não vou revelar mais nada da trama, que é cheia de reviravoltas e mistérios, então fecho este texto dizendo que Garo é um tokusatsu intenso, fantástico, para um público um pouco mais velho, e que serve de exemplo em como fazer uma obra que agradará por sua estética, enredo, personagens, etc. Só um lembrete: a série possui 4 temporadas, cada uma com personagens diferentes, e um anime lançado recentemente, com uma versão diferente da história da série, mas também imperdível.

Um comentário:

  1. Perfeito o texto! Fiquei mais ansioso ainda pra ver! Parabéns!

    ResponderExcluir